MONITORIZAÇÃO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA (TJUE)

Embora o jogo online não seja visto como um «serviço» a harmonizar no direito comunitário, o seu caráter móvel e tendência para que a sua proliferação crie mais oportunidades para práticas corruptas, como fraudes, viciação de resultados, cartéis de apostas ilegais e branqueamento de capitais, leva a que esta realidade não possa ser ignorada pelas instâncias europeias (Comissão Europeia).

ACORDÃOS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA 
ligação Ligações 
Portugal Espanha França Itália Reino Unido Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Finlândia Grécia Países Baixos

A informação pública, prestada através da difusão de dados do setor de jogos de fortuna ou azar é essencial para que os agentes económicos, analistas e cidadãos em geral possam ter uma visão global da realidade deste sector económico e um conhecimento mais preciso dos problemas que sobre ele incidem.